OrganicsNet nas redes sociais:


 

Login Cadastre-se!

Notícias

Florianópolis debate a alimentação orgânica

31/05/2016
Collectivo traz para Santa Catarina evento inédito e exclusivo sobre as demandas da cadeia produtiva de orgânicos 

alimentoslimpos

Em sintonia com a 12ª Semana Nacional do Alimento Orgânico, que acontece em todas as regiões do Brasil, até 4 de junho, o Collectivo, um sistema organizacional de associações livres, promove na próxima quarta-feira (01), no S7 Coworking, em Florianópolis, o debate Alimentos Limpos – como resolver a questão da distribuição. “O evento tem como objetivo estimular o consumo de alimentos orgânicos. Além de celebrar os produtores e suas famílias e seus esforços para promover a importância deste diferencial do ponto de vista social, ambiental e econômico. É uma maneira de levar mais informações, conscientizar e compartilhar sobre o valor do alimento puro, limpo, local e sazonal”, afirma a consultora de cozinha saudável Ana Rita Cohen, idealizadora do evento e uma das palestrantes.

Programação

O programa, com mediação de Marcelo Neto, sócio fundador do S7 Coworking, vai promover uma discussão profunda sobre o sistema de produção e de distribuição de alimentos limpos – orgânicos, naturais, biodinâmicos e ecológicos. E contará com a participação de especialistas e representantes nacionais de toda a cadeia produtiva de alimentos. Destaque para Márcio Leal, sócio e chef de cozinha do Lucila Bistrô; Gika Voight, do Circuito Eco Vida; Glaico Sell, fundador da Feira de Orgânicos da Lagoa da Conceição; Sandra Caires, consultora em distribuição de alimentos orgânicos, com passagens por grandes redes do varejo nacional, como o Grupo Pão de Açúcar.

Todos os convidados compartilham da ideia de trabalhar intensamente por um cenário mais receptivo a este mercado. “Mesmo sabendo que existe uma pressão contra a ascensão do alimento orgânico em nosso modelo econômico, acreditamos que a qualidade do processo individual de conscientização é que irá impulsionar o processo coletivo”, defende Ana Rita Cohen. Ela realça que “o produtor familiar tem o cuidado de manter a qualidade, suportando lavouras de menor porte a fim de garantir um alimento completo de nutrientes”. A consultora acredita que a concepção de que “produto orgânico é caro” só será revertida quando houver uma mudança de postura cultural. “O que achamos caro hoje sairá bem mais barato e duradouro no futuro, quando entendermos que o melhor seguro saúde é o próprio alimento”, finaliza.

No Brasil e em Santa Catarina

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Brasil possui 750 mil hectares de terras cultivadas e ocupadas pelo sistema de produção orgânica. São mais de 11 mil trabalhadores envolvidos na atividade, constituídos em sua maioria por agricultores familiares, que asseguram o fornecimento de alimentos mais saudáveis, saborosos e de maior durabilidade.

O mercado nacional de orgânicos deve crescer entre 20% e 30% neste ano, gerando receita de aproximadamente R$ 2 bilhões. Entre os maiores produtores brasileiros está Santa Catarina, na quarta posição, com 999 famílias cadastradas.

O Collectivo

O Collectivo é um sistema organizacional de associações livres, no qual profissionais de todas as áreas podem se vincular gratuitamente e voluntariamente para prestar serviços, captar projetos e criar produtos, coletivamente, tendo o S7 Coworking como plataforma física e virtual.

Serviço

Alimentos Limpos: como resolver a questão da distribuição
Dia: 01/06/2016
Horário: Das 19h30min às 22h.
Onde: S7 Coworking (Rua Rafael Bandeira, 328 – Centro, Florianópolis)
Informações e Inscrições: www.collectivo.com/alimentos ou (48) 3024-6403

Fonte: Collectivo 

     Saiba mais em:
Produção Orgânica em Santa Catarina: Epagri

 

Tags:
, , , ,