OrganicsNet nas redes sociais:


 

Login Cadastre-se!

Notícias

Startup de distribuição de alimentos vende produtos saudáveis para escolas particulares em SP

17/01/2017
Menu orgânico da Cantina Gellers que administra 5 unidades nas escolas de SP. Foto: Reprodução/Instagram

Menu orgânico da Cantina Gellers, responsável pela administração de cinco lanchonetes em escolas de São Paulo. Foto: Reprodução/Instagram

O crescimento da startup de venda e distribuição de alimentos Mondial Brands se deve, em grande parte, a alimentação saudável e orgânica em escolas particulares de São Paulo. Do faturamento de R$ 1,5 milhão da empresa no último ano, 12% veio dos novos clientes: cantinas que vetam refrigerantes e frituras e oferecem aos estudantes sucos naturais, barras de cereais e doces sem glúten ou lactose.

A Mondial Brands atua em oito escolas da zona sul da capital e de Valinhos que compram os produtos distribuídos pela empresa. A startup oferece em seu catálogo 245 alimentos provenientes de 36 fornecedores.

“Percebi que o mercado de alimentação saudável não é uma tendência, mas sim uma realidade.”

Alberto Gonçalves Neto, fundador e diretor da Mondial Brands

Uma pesquisa divulgada pela consultoria Euromonitor no primeiro semestre de 2016, mostrou que o Brasil fechou 2015 como o 5° maior mercado de alimentação saudável, com um crescimento de 20% ao ano. A taxa mundial é de 8%.

Há um ano e meio a Mondial fechou um contrato de exclusividade para a distribuição dos sucos orgânicos da Fazenda da Toca, empresa da família do empresário Abílio Diniz. Desde então, os produtos “premium”, primeira aposta da empresa, ficaram de lado para dar lugar aos chips de batata-doce, chás, balas e ovos orgânicos. Entre os clientes da empresa estão restaurantes, como o La Guapa, da famosa chef argentina Paola Carosella, empórios gourmet, padarias e hotéis, entre eles os da rede Fasano.

A parceria com os colégios é recente. A rede Cantinas Gellers, responsável pela administração de cinco lanchonetes em escolas como a Waldorf Rudolf Steiner em São Paulo, foi a primeira.  De acordo com Gabriela Geller, uma das diretoras da rede de cantinas, os estudantes logo se acostumaram com a novidade. “Onde tem a tradição de ter refrigerante na cantina, por exemplo, lógico que houve um estranhamento no começo. Mas, depois eles provam, aceitam e gostam do que é oferecido por nós”, explicou Gabriela.

Entre os produtos mais consumidos pelos alunos estão sucos, cookies, sanduíches naturais e saladas de fruta.

Com a parceria com os colégios, o crescimento da Mondial tem sido de 15% ao mês e a startup segue crescendo. Atualmente está fechando contrato com mais três cantinas. “É um modelo que está se mostrando bastante lucrativo para nós. A procura tem aumentado muito por mês, com ao menos seis fornecedores nos procurando e cerca de 30 novos clientes”, afirma Alberto Gonçalves Neto, fundador e diretor da Mondial Brands

Para conseguir um crescimento de 100% em 2017, a empresa que hoje conta com 11 funcionários, busca investimentos para o negócio. Atualmente, o “valuation” (valor da empresa) está estimado em R$ 5 milhões e a intenção é conseguir R$ 1,7 milhão, valor que corresponde ao dobro do total já investido na companhia até hoje, entre investimento próprio e aporte de investidores.

Fonte: Estadão 

Veja outras matérias similares:

Campanha promove alimentação saudável e combate à obesidade

Nova lei garante merenda escolar com alimentos orgânicos em SP

Política de merenda escolar na cidade de SP ajuda no desenvolvimento dos pequenos produtores rurais

 

 

Tags:
, , ,