OrganicsNet nas redes sociais:


 

Casos de sucesso. Mate e Tal

Chá mate orgânico é a bebida energética ideal para o verão

24/01/2020

Além da versão Tetra Pak de 330ml, chegam ao mercado a garrafinha de 300ml e os sachês de pó solúvel de 15 e 50g em embalagem krafta. Foto: Mate e Tal

A Mate e Tal, empresa de Curitiba parceira da OrganicsNet e que está desde de 2015 no mercado, foi responsável pelo primeiro mate orgânico pronto para beber no Paraná (PR). Esse ano, com o objetivo de expandir o acesso a uma bebida orgânica e ideal para o verão, a marca acaba de lançar novas embalagens. Disponível nas cidades de Curitiba (PR), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP), a Mate e Tal amplia agora seu mercado para Natal (RN) e Fortaleza (CE) e para o interior de São Paulo.

“Queremos que todos experimentem o sabor do verdadeiro mate, que não economiza na concentração e não mata o sabor com excesso de açúcar. Iremos manter a nossa linha no vidro, mas a nossa intenção é chegar ao consumidor por um preço abaixo de R$ 5,00 em Curitiba na embalagem de 330ml”, afirma Paola Ceni, diretora da Mate e Tal.

Ela se refere ao mais novo lançamento da marca, a versão Tetra Pak de 330ml. A embalagem da Tetra Pak é reciclável e composta por seis camadas (papel, plástico e alumínio), que preservam o sabor e os nutrientes das bebidas sem a necessidade de conservantes. Todos os materiais possuem fontes renováveis, como papel certificado e plástico produzido a partir da cana-de-açúcar.

Além da versão Tetra Pak de 330ml, chegam ao mercado a garrafinha de 300ml e os sachês de pó solúvel de 15 e 50g em embalagem krafta. O lançamento conta com uma nova identidade visual, mais clean, que reflete a história do cultivo no erval da Família Ceni, localizado em Chopinzinho (PR). A lista completa dos pontos de venda da Mate e Tal pode ser encontrada no site da marca: www.mateetal.com.br.

Com as novas embalagens, a Mate e Tal passa a atuar também no consumo on the go, com o objetivo de atender mais canais, como escolas, lanchonetes, restaurantes, clubes e estabelecimentos à beira mar, com uma embalagem unitária que seja mais prática e segura para o transporte.

Respeito à natureza

Fruto de agricultura familiar, os produtos orgânicos da Mate e Tal são resultado de um cultivo iniciado em 1987, com o Senhor Vilmar Ceni e do seu filho, o engenheiro florestal Eremar Antonio Ceni. Na época, a família havia realizado a colheita de árvores pinus, plantadas na década de 60, e buscava outra cultura para alternar o cultivo e assim preservar o solo. Foi quando observaram que os pássaros haviam transportado algumas sementes que resultaram nas primeiras mudas de erva mate a se instalar naquele local que futuramente se tornaria o erval.

O cuidado na poda garante um produto de melhor qualidade e incentiva a mão de obra local e o bem-estar dos trabalhadores. Foto: Vilmar Ceni, Mate e Tal

As mudas estavam se desenvolvendo bem, tolerando a acidez do solo, e aproveitando as condições atmosféricas e climáticas locais. Vale destacar que a região possui características únicas do clima subtropical sul-americano, ideal para a erva mate, tendo em vista a altitude de 720 a 810 metros, solo profundo e permeável, frequência ideal de chuvas e estações bem definidas durante o ano. Atualmente, as plantas de erva mate são cultivadas entre araucárias, que ajudam no sombreamento necessário para o cultivo da erva.

“Meu filho, Eremar, estava bem familiarizado com a erva mate, porque a própria Universidade Federal do Paraná incentiva a cultura de árvores nativas como a erva mate, além de ser um costume tradicional da região. Então fizemos experimentos e fomos aprimorando o ‘Projeto Cinturão Verde’. Selecionamos árvores da região, levando em consideração as mais sadias, com maior quantidade de folhas e de melhor qualidade, e obtivemos como resultado um blend único”, conta Vilmar Ceni.

Ciclo natural

Como toda produção orgânica, a Mate e Tal respeita o ciclo natural das plantas. “Somente colhemos a erva mate de maio a setembro, não usamos agrotóxicos, herbicidas, inseticidas ou qualquer outro produto que não seja natural em nossa plantação de erva mate. Se há pragas, elas são combatidas de forma biológica e natural, sem nenhum tipo de agroquímico ou molécula sintética. Não fazemos a poda com facões, mas sim com tesouras elétricas altamente tecnológicas que não agridem as plantas”, revela o atual responsável técnico pelo erval, o engenheiro florestal Marcelo Foppa.

O cuidado na poda, além de garantir um produto de melhor qualidade, ainda incentiva a mão de obra local e o bem-estar dos trabalhadores. “E, na hora do envase, não utilizamos conservantes nem aromatizantes, garantindo a entrega do puro mate”, complementa a diretora Paola Ceni.

Vale destacar que as embalagens da Tetra Pak são compostas por seis camadas (papel, plástico e alumínio recicláveis), que preservam o sabor e os nutrientes das bebidas sem a necessidade de conservantes. Outro ponto importante para a seleção deste fornecedor está no compromisso com o meio ambiente.

Estruturação do negócio

A diretora da empresa, Paola Ceni, caminha pela plantação de erva mate. Foto: Mate e Tal

Em 2007, vinte anos depois das primeiras mudas plantadas, a família iniciou a comercialização dos primeiros mates produzidos no erval orgânico de Chopinzinho, interior do Paraná. Neste mesmo ano, também conquistou o certificado de produção orgânica através do IBD, para o Brasil, Estados Unidos e União Europeia, que é atualizado anualmente por meio de uma rigorosa inspeção. “Nosso mate é único.

Nós mesmos desenvolvemos o blend, produzimos e acompanhamos todos os estágios, do plantio à colheita, da secagem das folhas ao envase. Cada etapa do processo de produção é conduzida com extremo cuidado para levar até o consumidor a boa energia da natureza e o melhor sabor do mate”, destaca Paola.

“Hoje diante das análises efetuadas nos produtos derivados do Erval Cinturão Verde, constatamos para alegria e recompensa de nossos esforços a elevada quantidade das propriedades organolépticas, principalmente de cafeína e polifenóis, que são poderosos antioxidantes”, completa Paola.

Um ponto importante a destacar é que a ação da cafeína presente no mate tem um tempo de liberação mais gradual e contínuo do que a do café. Por isso, a vitalidade e a concentração tendem a durar por mais tempo e sem o efeito de ansiedade promovido pelo café. Uma boa forma de obter energia extra para o dia, com uma bebida que também é diurética e cardiotônica.

E foi justamente a energia da natureza que inspirou Paola a transformar o cultivo familiar em um negócio com amplitude nacional. “Fiz um estágio de 2 anos no erval, me inspirei muito com essa energia da natureza que senti lá, e quis lançar um produto que trouxesse a mesma pureza. Uni essa experiência à minha formação em marketing e, paralelamente, participei de várias feiras do setor orgânico – incluindo a Biofach, na Alemanha – e, claro, com o apoio do meu marido Mario de Souza, me senti preparada para lançar o Mate e Tal, na Semana de Orgânicos do Mercado Municipal de Curitiba, em 2015”, relembra.

Fonte: Mate e Tal e Revista  A Lavoura

 

Tags:
, , , , , ,