OrganicsNet nas redes sociais:


 

Mercado

Comércio internacional de produtos agro-alimentares orgânicos

22/06/2020

No geral, as importações de produtos agro-alimentares orgânicos permaneceram estáveis ​​entre 2018 e 2019. Em termos de produtos, as importações de cereais orgânicos diminuíram em 2019, enquanto as importações de frutas tropicais, bolos de óleo, soja e açúcar aumentaram. Essas são algumas das principais conclusões do relatório sobre as importações da UE de produtos agro-alimentares orgânicos: principais desenvolvimentos em 2019 , publicado hoje pela Comissão Europeia.

Em 2019, a UE importou 3,24 milhões de toneladas de produtos agroalimentares orgânicos, um ligeiro aumento de 0,4% em relação a 2018. As importações agroalimentares orgânicas representam cerca de 2% do total das importações agroalimentares para a UE.

A maioria dos produtos orgânicos importados na UE eram commodities (incluindo cereais, óleos vegetais, açúcares, leite em pó e manteiga), representando 54% do total das importações agro-alimentares orgânicas em termos de volumes. Outros produtos primários (incluindo carne, frutas, vegetais, iogurte e mel) representaram 38% das importações em volume. No entanto, commodities e outros produtos primários têm um valor menor do que os produtos processados, levando a representar 38% e 43%, respectivamente, das importações em termos de valor. Os produtos processados ​​representaram 6% das importações em termos de volume, mas 11% em termos de valor.

Na UE, os estados membros que importaram a maioria dos produtos orgânicos em 2019 são a Holanda (32% em volume), Alemanha (13%), Reino Unido (12%) e Bélgica (11%).

Em relação às origens dos produtos, os dez países que exportaram a maioria dos produtos orgânicos para a UE representaram 70% das importações em termos de volume em 2019, com China (13%), Ucrânia (10%), República Dominicana (10%), Equador ( 9%), Peru (7%), Turquia (7%), Índia (5%), Colômbia (3%), Cazaquistão (3%) e Brasil (2%).

As importações da China incluem principalmente bolos de óleo orgânico, enquanto o Equador, República Dominicana e Peru exportam principalmente frutas tropicais orgânicas, nozes e especiarias para a UE. A Ucrânia, a Turquia e o Cazaquistão exportam principalmente cereais orgânicos (incluindo trigo, exceto arroz). Finalmente, a principal exportação do Brasil e da Colômbia para a UE é o açúcar orgânico.

Em geral, os produtos orgânicos mais importados em 2019 foram frutas tropicais, nozes e especiarias, representando 27% do volume total de importações orgânicas (0,9 milhão de toneladas). As bananas representam uma parte significativa dessas importações, constituindo 85% das importações de frutas tropicais. Os bolos de petróleo são os próximos, com 12% das importações orgânicas (0,4 milhão de toneladas), seguidos pelos cereais (excluindo trigo e arroz) e açúcar, ambos representando 7% (0,2 milhão de toneladas).

Em relação a 2018, as maiores mudanças estão relacionadas ao aumento das importações de frutas tropicais, nozes e especiarias (aumento de 13%), açúcar (aumento de 29%), legumes (+ 8%), café não torrado, chá e mate (a 11%) e soja (+ 25%). Em termos de redução em relação a 2018, os cereais – exceto trigo e arroz – caíram 8%, trigo 16% e oleaginosas que não a soja 17%.

Mais informações podem ser encontradas no relatório ‘ Importações da UE de produtos agro-alimentares orgânicos: principais desenvolvimentos em 2019 ‘, incluindo mais detalhes sobre as importações de cereais orgânicos, oleaginosas, açúcar, frutas e legumes, café, chá, azeite, grãos de cacau e produtos de origem animal.

Clique na imagem abaixo e confira relatório na íntegra:

Fonte: IBD Certificações

 

Tags:
, , , ,