ABCZ: Projeto Leite Orgânico

Projeto de produção de Leite Orgânico tem início com Controle Leiteiro


Notícia
Fêmeas da raça gir participantes do Projeto de Produção de Leite Orgânico de Zebu, desenvolvido na fazenda escola da FAZU (Faculdades Associadas de Uberaba) em parceria com o pecuarista José Henrique Fugazzola Barros e sua filha Luana Barros, passaram recentemente pelo primeiro Controle Leiteiro Oficial, realizado pela ABCZ.

As fêmeas foram mensuradas pela gerente do PMGZ/Leite, Mariana Alencar. A próxima pesagem do leite produzido será realizada entre os dias 19 e 20 de abril.
O objetivo do projeto é estimular, aprimorar e incrementar o desenvolvimento de pesquisa, experimentação, ensino e difusão de tecnologias do sistema de produção de leite orgânico com raças zebuínas. Durante o projeto, as fêmeas da raça gir serão alimentadas e manejadas conforme as determinações da legislação para produção de leite orgânico no país. Em um sistema de produção de leite orgânico, além do manejo dos animais ser feito sem a utilização de antibióticos, hormônios, vermífugos, promotores de crescimento, estimulantes de apetite, ureia e demais aditivos, o pecuarista deve estar compromissado com a preservação ambiental e, ainda, proporcionar adequadas condições de trabalho aos seus empregados.

Estrutura

As obras de construção do curral e da sala de ordenha, que já abrigam as dez matrizes da raça gir participantes do projeto, estão sendo finalizadas. Antes das obras terem início, porém, foi realizada a delimitação das áreas de pastagens com boa qualidade já existentes e construção de cercas nos piquetes, além da delimitação das áreas de agricultura e reforma de pasto. No mês de novembro do ano passado, o solo foi preparado para plantio de sorgo para silagem, cana de açúcar ou capineira, mandioca, barreira de defesa sanitária (café), horto de plantas medicinais, horta e espécies frutíferas. “Através deste projeto, esperamos que os alunos dos cursos de Agronomia, Zootecnia e Engenharia de Alimentos da faculdade tenham acesso às novas formas de produção, especialmente aquelas que privilegiem a sustentabilidade da atividade e da propriedade rural e ainda que gerem mais renda ao produtor”, explica o professor Carlos Henrique Cavallari Machado, coordenador do projeto e superintendente de Melhoramento Genético da ABCZ.

Fonte: ABCZ – Associação Brasileira dos Criadores de Zebu

Share your thoughts