Agricultores gaúchos apresentam em Cuba benefícios de agroecologia

10/09
Havana, (Prensa Latina)
Ricardo Fritsch, da Coopernatural Integrantes de uma delegação do RS, ponderou em visita a Cuba, os benefícios do uso da agricultura orgânica, que preserva os solos e é compatível com a ecologia.
O grupo,  é integrado por representantes das secretarias de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo e de Agricultura, Pecuaria e Agronegocios, e o Instituto Riograndense de Arroz (IRGA).A coordenadora da delegação, Andréia Nunes, declarou à Prensa Latina que um dos problemas que enfrentam é o domínio do sistema agroalimentar pelas multinacionais, que impõem o consumo de agrotóxicos e pacotes tecnológicos de sementes, genética, química e outros fatores prejudiciais em muitos casos aos pequenos produtores e camponeses.

O alto uso de agrotóxicos é um exemplo de aspectos que ainda não temos bem resolvidos de nosso Estado, daí que um dos objetivos desta visita seja conhecer a experiência cubana no uso de meios agroecológicos na agricultura, assinalou.

Queremos mudar esse sistema de produção por um autônomo, com uma projeção social.

Terminar com a miséria é um grande objetivo em nosso Estado e no Brasil, assegurou. A grande diferença do Governo do Partido dos Trabalhadores com os que existiram durante anos, é conseguir uma verdadeira inclusão social.

Perguntada sobre a necessidade da cooperação Sul-Sul, disse que o Brasil está em um momento muito bom desde o ponto de vista econômico e do desenvolvimento social.

Estivemos durante muito tempo como receptores e explodidos por relações internacionais e é agora que o país tem condições de se projetar na América Latina, de estar com seus irmãos da região, os apoiar e receber também ajuda, pois podemos os acompanhar e de uma maneira diferente à de etapas precedentes.

Temos condições econômicas boas, em um período muito favorável desde o ponto de vista econômico e do desenvolvimento social.

O presidente de IRGA, Claudio Fernández Brayer, também transmitiu à PL seu interesse de conhecer a experiência agroecológica desta ilha, já que em seu Estado existe uma agricultura muito baseada em meios químicos.

Assegurou que hoje o mercado agrícola que mais cresce no mundo é precisamente o da agricultura agroecológica, que vai a elementos orgânicos, compatíveis com o meio ambiente.

Também precisou que ainda que o 70 por cento dos produtores agrícolas do Rio Grande do Sul está constituído por pequenos camponeses, responsáveis apenas por 30 por cento do volume de arroz e o resto está a cargo de médios e grandes produtores.

fonte: Agrolink

Leia  mais

Coopernatural é destaque no Congresso Brasileiro de Agroecologia

Vinho ecológico: “sabor da terra”

Vinho orgânico da Coopernatural é destaque

CONHEÇA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Share your thoughts