Agroecologia, produção orgânica e circuitos curtos de comercialização

A construção de mapas tem se mostrado um recurso muito dinâmico. Através de um mapa, podemos visualizar e compartilhar informações que podem ser de utilidade pública. Ao longo de muito tempo os mapas eram ferramentas restritas a determinado público e, muitas vezes, estavam vinculados apenas a áreas mais específicas, como a geografia e a cartografia.

No entanto, os avanços tecnológicos, como softwares e plataformas digitais têm possibilitado uma ampliação do uso dos mapas para diferentes finalidades, assim como a sua criação tem se tornado um recurso cada vez mais acessível a pessoas de diferentes áreas do conhecimento.

Porém, tantos recursos e informações disponíveis podem parecer difíceis de serem sistematizados e aplicados por pessoas leigas. Dessa forma, acreditamos ser necessário explorar e adequar esses recursos para as necessidades individuais e coletivas de grupos ligados ao meio rural e a segurança alimentar e nutricional da população.

O livro está dividido da seguinte maneira: na parte I foi feita uma introdução sobre os temas agroecologia, produção orgânica e circuitos curtos de comercialização. A parte II apresenta as plataformas e suas ferramentas disponíveis na rede de forma gratuita, destacandose: Falling Fruit; Mundraub; Laboratório de Comercialização da Agricultura Familiar (LACAF) da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina); Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos (CNPO) do MAPA, Associação de Agricultores Biológicos do Estado do Rio de Janeiro (ABIO); Google My Maps. As metodologias de mapeamento digital, podem estimular a criação de novos mapas temáticos, representativos dos circuitos curtos de comercialização num sistema agroalimentar localizado (SIAL) e sustentável.

Na parte III, apresentou-se o site Mapa de Feiras Orgânicas do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa dos Consumidores). Trata-se de uma ferramenta gratuita, que permite a criação de rotas de feiras orgânicas e de uma rede de pontos de venda, com o objetivo de ampliar o olhar dos alunos para esta TIC. Contemplou-se ainda o uso do software Google Earth para familiarizar o estudante com o ambiente de sistema de informação geográfica e o georreferenciamento do estabelecimento rural e/ou urbano. Com este software, que já é usado na agricultura tecnificada, gratuita e de fácil manuseio, disponibilizaram-se etapas para construção do croqui do estabelecimento rural ou urbano para apoio na elaboração do Plano de Manejo Orgânico. Utiliza-se como exemplo didático, as etapas de elaboração do croqui de uma unidade de produção orgânica localizada no município de Seropédica-RJ

Clique na imagem abaixo e confira publicação da Pesagro-Rio na íntegra:

Fonte: Pesagro-Rio