Alemanha: plano para fortalecimento da produção orgânica

Mercado Agroecológico em Berlim/ Foto: Sylvia Wachsner

Com o título: “Fortalecer a agricultura orgânica – um plano de ação para a agricultura biológica”, membros do Partido Verde alemão apresentaram o plano que entraria em vigor após as próximas eleições gerais na Alemanha, que ocorrem em 22 de setembro. Por serem parte de um futuro governo de coalizão, grande parte deste trabalho pode se tornar realidade a partir de novembro de 2013. Para o setor de orgânicos, este desenvolvimento significaria maiores taxas de crescimento na produção doméstica.

Se durante anos, houve um boom na demanda por produtos orgânicos, ultimamente, cada vez menos agricultores na Alemanha estão convertendo-se à produção orgânica. De acordo com uma pesquisa realizada pela BÖLW – associação de produtores, processadores e varejistas do setor de alimentos orgânicos – entre 2007 e 2010, esse quadro resultou na duplicação de importações, como legumes frescos. Em um projeto de pesquisa financiado como parte do programa do governo federal para promover a agricultura orgânica e outras formas de agricultura sustentável (BÖLN) , descobriu-se que , em 2010, por exemplo, 48% das cenouras orgânicas , 50% das maçãs orgânicas , 20% dos ovos orgânicos e 15% de leite orgânico foram importados.

Segundo o plano, é necessário introduzir um foco de apoio na “modernização de estabelecimentos de processamento regional e estruturas de comercialização”, aumentando a produção interna de orgânicos. Além disso, no mínimo, 20 % de todo o financiamento para a pesquisa na agricultura devem ser usados para o setor da agricultura biológica. Todas as instituições de ensino superior e universidades também devem incluir a agricultura orgânica como disciplina obrigatória no currículo. Muitos produtos bem estabelecidos na agricultura convencional foram desenvolvidos com a ajuda de grandes programas de pesquisa estaduais. Em contraste, as realizações inovadoras da agricultura orgânica moderna, há décadas, ocorreram em grande parte sem qualquer tipo de apoio público a pesquisa.

A agricultura biológica oferece mais oportunidades de emprego e melhores perspectivas para o desenvolvimento econômico em áreas rurais. Este tipo de produção permite a criação de valor agregado em qualquer região, e isso significa que as matérias-primas podem ser produzidas localmente, ao invés de importadas. Além disso, a agricultura orgânica é líder em bem-estar animal, devido às rigorosas exigências de proteção animal, com muito menos medicamentos são utilizados na agricultura biológica do que na pecuária convencional.

Em artigo publicado este ano, deputados do Partido Verde denunciaram a falta de uma política ativa na agricultura orgânica. Infelizmente, na Alemanha, o apoio à conversão para o orgânico depende da composição política dos governos dos estados federais e sua atual situação financeira. E os cortes maciços da política agrícola europeia, negociados pela chanceler Ângela Merkel, afetam diretamente a política de  fomento aos orgânicos, agravando ainda mais esta situação.

Fonte: Organic-Market.Info

Leia mais

Em Berlim, feira orgânica vira programa em família

Crise afeta vendas de orgânicos na Europa

Alemanha: Espírito jovem e empreendedorismo

CONHEÇA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK TWITTER

Share your thoughts