Ampliação da classe média rural beneficiará 2.938 propriedades no RJ

foto divulgação

O programa do Ministério da Agricultura que visa a ampliar e fortalecer a classe média rural brasileira vai beneficiar 2.938 propriedades do Rio de Janeiro. Nesta quinta-feira (10), a ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) assinou convênio com as 10 prefeituras fluminenses que concentram a maior parte da produção de orgânicos do estado.

A assinatura ocorreu no Palácio Guanabara, com presença do governador Luiz Fernando Pezão e faz parte de uma extensa agenda que ela cumpre no Rio de Janeiro nesta quinta-feira. Os convênios são a primeira etapa da implementação do programa que, por meio de assistência técnica e capacitação profissional, dará condições a produtores das classes D e C incrementarem sua renda e ascenderem à classe C.

“Escolhemos os municípios onde a produção de orgânicos é mais forte no estado, um dos maiores produtores do país. Enxergamos nos orgânicos um excelente nicho de mercado”, disse a ministra durante coletiva de imprensa após a solenidade.

“Queremos que pequenos produtores com renda baixa, empobrecidos, possam chegar à classe média de renda”, afirmou a ministra, destacando que, em todo o país, o Mapa pretende atender 110 mil produtores em sete estados. “Ao final de quatro anos, pretendemos dobrar a classe média rural, atingindo 400 mil agricultores”, completou.

Ao longo de três anos, o Ministério da Agricultura repassará o valor de R$ 114 mil para cada prefeitura, em quatro parcelas, para cadastramento e monitoramento das famílias participantes – totalizando R$ 1,256 milhão.

Assinaram os convênios os municípios de Rio das Flores, Varre-Sai, Rio de Janeiro, Santa Maria Madalena, Trajano de Moraes, São José de Ubá, Teresópolis, Barra do Piraí, Piraí e Pinheiral. Agora caberá às prefeituras cadastrar os produtores aptos a aderirem ao programa e, para isso, levantarão informações de porteira em porteira sobre a realidade e as demandas dos agricultores das classes D e E.

Uma vez realizado o cadastro, o Mapa e a rede de parceiros, como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), oferecerão assistência técnica continuada, cursos de qualificação profissional e estimularão o associativismo e o cooperativismo entre os pequenos produtores, permitindo que comprem insumos a preços mais baixos e vendam seus produtos em volumes maiores.

Fonte: Agência IN