Associações e certificadoras australianas visam possuir selo orgânico nacional

                   Core-Choice-Awards

Associações e certificadoras australianas orgânicas e de sustentabilidade  concordaram em pressionar por um selo orgânico nacional novo unificador, a fim de permitir uma melhor identificação para os consumidores de alimentos orgânicos, além de ajudar a lançar acordos de equivalência orgânicos com outros países.

Durante o National Organic Consumer Choice Awards, realizado em Sydney em dezembro, vários oradores falaram sobre a necessidade de um selo orgânico nacional. O jantar de premiação foi parte do Centro de Investigação e Educação Orgânica (CORE).

Peter Longhurst do fornecedor orgânico Primal Foods Group, afirmou que um selo orgânico nacional similar aos logos americano e europeu, é necessário para alcançar equivalência aos principais mercados, como os EUA, Coréia e Japão.

Ben Copeman, o gerente geral de uma das duas maiores certificadoras orgânicas da Austrália, a National Association for Sustainable Agriculture Australia, afirmou que NASAA tem sido um promotor de longo prazo da necessidade de uma marca nacional orgânica unificada.

“Temos dito há anos que, para a indústria orgânica na Austrália prosperar, é necessário ter uma forte e unificada marca que todos (incluindo AO / ACO) apoiem”, disse Copeman.

“Para a equivalência ocorrer em certos países (por exemplo, Coreia) uma marca unificada é essencial, e pode muito bem levar a equivalência, sendo obtida com outros países um pouco mais cedo do que pode ter sido obtido em contrário.”

O Australian Organic, maior grupo orgânico da Austrália, disse que apoia o Selo Orgânico Nacional proposto para a Austrália, desenvolvido e mantido pelo Organic Industry Standards Certification Council (OISCC).

“Similar aos mercados mais desenvolvidos, como Europa e os EUA, os operadores teriam a oportunidade de usar o novo selo Orgânico Nacional que seria voluntário. A susidiária da Australian Organic, a Australian Certified Organic (ACO), já pode fornecer o certificado de acesso aos operadores de mercado em todo o mundo, incluindo Europa, EUA, Canadá, Coreia, China, Japão e outros “, afirma Michael Baker, diretor de certificação da Australian Certified Organic.

A Austrália tem seis empresas certificadoras orgânicas e Adam Wilson, presidente da Federação Orgânica da Austrália (OFA), tem trabalhado por um selo orgânico nacional, que pode estar ao lado de cada um dos seis selos ou logotipos individuais.

“Ao contrário de muitos outros países, como os EUA e o Canadá, a Austrália não tem um logotipo biológico nacional”, disse Wilson. “A introdução de um selo orgânico nacional é a maneira mais rápida para os consumidores a identificar-se com o alimento orgânico certificado australiano. Ele simplifica o processo de compra de alimentos orgânicos e irá fornecer confiança do consumidor em produtos orgânicos. “

Um estudo americano descobriu que acordos de equivalência orgânicos da OTA ajudam as exportações orgânicos a crescer em quase 60%.