BRICS Orgânicos: desafios e oportunidades

Brasil se consolida como mercado forte na América. China se destaca pela legislação orgânica. E vontade política incentiva produção na Índia

O crescimento no mercado orgânico internacional ainda é estável. As vendas globais de produtos orgânicos superou a marca de U$50 bilhões em 2008 e, de acordo com uma previsão do Marketline, instituto britânico de pesquisas de mercado, o volume  deve dobrar em apenas oito anos. O mercado mundial de alimentos orgânicos em 2011 movimentou cerca 63 bilhões de dólares. Mais de 37 milhões de hectares de terras agrícolas em todo o mundo são destinados à produção orgânica em 162 países. (Fonte: FiBL & IFOAM). A BioFach espera, durante os quatro dias de feira,  100.000 visitantes e profissionais de países como Alemanha, China, Brasil, EUA, Japão e Índia, e pretende ampliar a rede mundial do setor orgânico.

China: salto no crescimento e nova legislação orgânica

A produção agrícola e o processamento de alimentos orgânicos na China foram duramente criticados em um passado recente. Por isso, a nova legislação que entrou em vigor no dia 1º de março de 2012 e a regulamentação sobre rotulagem, válida desde o início de julho de 2012, estão entre as mais rígidas do mundo. Tais avanços na legislação se destinam a melhorar a imagem do setor orgânico chinês, atribuindo mais credibilidade aos produtos. Desde então, todo produto orgânico tem um código de identificação de 17 dígitos. Esse código permite verificar e rastrear  todo o caminho percorrido pelo produto, da sua produção, até a comercialização. Isso elimina falsificações. A implementação das novas regras significa um grande esforço administrativo e, claro, custos adicionais para os fabricantes e importadores, mas certamente, a longo prazo, o  mercado chinês orgânico vai lucrar com as novas regras.

Foto: Biofach

Outro ponto positivo para o desenvolvimento do mercado orgânico, é que a China é um país de forte cultura na terceirização, o que oferece um leque amplo de matérias-primas, partir dos quase  4 milhões de hectares de terra orgânica certificada. Consumidores chineses estão cada vez mais interessados ​​em comida orgânica, como consequência, o mercado testemunhará um aumento expressivo nas vendas futuras. Segundo estimativas oficiais, as vendas de orgânicos no mercado doméstico deve chegar a 9,4 bilhões de dólares até 2015.

A demanda dos consumidores chineses por uma ampla gama de alimentos orgânicos também oferece oportunidades de desenvolvimento e ideais para empresas orgânicas provenientes do exterior. O aumento de mais de 9% no número de visitantes (15.963) na BioFach China, em maio do ano passado, confirmou o interesse do comércio no potencial existente no mercado chinês orgânico. E para lembrar, a 7ª edição da BioFach China acontecerá entre os dias 23 e 25 ​​Maio deste ano.

Brasil: mercado aspirante que ainda precisa de uma plataforma consistente

O mercado de orgânicos no Brasil tem tido um crescimento constante por anos. As redes de supermercados nas grandes cidades são o principal canal de vendas desse setor. De acordo com dados da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), houve um crescimento de 8% nas vendas de orgânicos, R$ 1,12 bilhão em 2011. Esta evolução positiva continua e tem incentivado redes comerciais a expandir a oferta de orgânicos.

Considerando a distribuição regional da demanda orgânica, São Paulo ocupa lugar especial: mais de 56% das vendas desse tipo de produto no país são gerados no estado. Informações do Ministério da Agricultura mostram que cerca de 15.000 produtos orgânicos estão registrados e que a área atual de produção e cultivo orgânico chega a 2,8 milhões de hectares, e está aumentando a cada ano.O governo também pretende dar à produção e venda de produtos ecológicos outro impulso por meio de um programa de apoio orgânico.

Negócios de exportação também cresceram no ano passado. O Organics Brasil, projeto de marketing do qual fazem parte cerca de 70 empresas de orgânicos, estabeleceu um novo recorde de quase 212 milhões de dólares em vendas no ano passado. A meta para 2013 é aumentar o número de empresas que participam, para 100. O sucesso pode vir com exportações de açúcar orgânico. Afinal, o Brasil, com um volume anual de cerca de 250.000 toneladas, é o maior exportador mundial deste produto.

A cooperação com dois parceiros poderosos também contribui para o desenvolvimento e sucesso do mercado. Em junho de 2012, a NürnbergMesse e a empresa brasileira de  exposições, Francal, anunciaram a fusão da Brasil Bio Fair com a BioFach América Latina para formar a maior plataforma de mercado orgânico na América Latina.  O primeiro evento conjunto ocorre em São Paulo, entre 27 e 30 junho de 2013.

Índia:  políticas de conversão orgânica

Foto: BioFach

Muitos estados federais na Índia estabeleceram metas ambiciosas para o desenvolvimento da agricultura e comercialização de produtos orgânicos. Um dos pioneiros é o estado de Sikkim, no noroeste da Índia, onde espera-se que toda a agricultura local seja convertida para orgânica até 2015.

O governo do estado indiano de Karnataka do Sul também está comprometido com o desenvolvimento do mercado orgânico: O programa “Amrut Bhoomi”, por exemplo, fornece o equivalente a 2,9 milhões de euros para a conversão orgânica e para formação de agricultores.

O governo nacional também está adotando medidas específicas para apoiar o movimento orgânico. Uma lei de rotulagem dos alimentos geneticamente modificados entrou em vigor recentemente – um grande passo na direção certa. Aumentar a área de agricultura biológica e fomentar as exportações, também são metas no topo da agenda do país. Tanto quanto, o fortalecimento do mercado interno indiano.  A classe média aspirante forma o maior grupo de compradores de alimentos orgânicos.

A dupla exposição,  BioFach Índia junto com a India Organic, em novembro de 2012, contribuiu para destacar as vantagens do cultivo orgânico. Em cima disto, as empresas que querem desenvolver o mercado indiano foram capazes de fechar negócios em um programa organizado pela NürnbergMesse e apoiada pelo estado de Karnataka.

Outro destaque na exposição foi o pavilhão alemão patrocinado pelo Ministério Federal da Alimentação, Agricultura e Defesa do Consumidor (BMELV), onde 11 expositores apresentaram seus produtos. Ele também estará presente em 2013, entre os dias 14 e 16 de novembro, durante a edição deste ano da BioFach Índia e a India Organic.

Fonte: BioFach

CONTINUE ACOMPANHANDO TUDO O QUE ACONTECE NA BIOFACH 2013 AQUI NO ORGANICSNET

LEIA MAIS

Presidente da IFOAM: “África é nossa prioridade”

“Crise? Onde?”, perguntam produtores orgânicos alemães

Orgânicos ganham força na alimentação dos dinamarqueses

CONHEÇA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK TWITTER

Share your thoughts