Cadeia Produtiva de Alimentos Orgânicos

Negócios verdes são tendência mundial e podem ser considerados como oportunidade de merca- do para os países em desenvolvimento. O planejamento específico é fundamental para atingir os padrões de qualidade internacionais, bem como para alcançar o nível de exigência de consumidores cada vez mais aten- tos. O Brasil contava, em 2016, com cerca de 15 mil pro- priedades certircadas em termos de produtos orgânicos e em processo de transição, sendo que 75% pertencem a agricultores familiares. Segundo dados recentes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), a produção orgânica nacional cresceu mais de 20% ao ano. A demanda de consumo é considerada superior a esse crescimento, com 70% da produção exportada para a Europa.

Dados como esses motivaram a primeira edição do Seminário “Cadeia Produtiva de Alimentos e Produtos Orgânicos”, que tinha por objetivo discutir perspectivas e tendências da produção de orgânicos no país, analisar informações técnicas e científicas relativas à produção e discutir sobre certificação e comercialização de produtos orgânicos. Além da reflexão sobre o mapa e  as características da produção orgânica no país e no mundo.

Os textos que seguem foram apresentados ou produzidos a partir da experiência do Seminário e sugerem um quadro concreto sobre o tema da produção orgânica e a problematização dos diversos aspectos ligados à cadeia produtiva.

Em diversos casos, os textos apresentam diversidade de forma, para preservar a informação tal como foi disposta durante o Seminário “Cadeia Produtiva de Alimentos e Produtos Orgânicos”.

Cadeia Produtiva de Alimentos Orgânicos Livro Cadeia Produtiva de Alimentos e Produtos Orgânicos

ORGANIZADORES

Wilma Spinosa, Thais de Souza Rocha,  Gabriel Benassi Yamashita.

Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos e Programa de Pós-Graduação em Ciência de Alimentos do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Estadual de Londrina.