Certificação como uma ferramenta de comunicação, criação de confiança entre o produtor e o consumidor

Buscando em alguns sites sobre produção orgânica, encontrei questionamentos interessantes e pertinentes e que refletem um pouco o tipo de dúvidas que os consumidores ou potenciais consumidores de produtos orgânicos tem.

O que é um alimento orgânico? Como a produção orgânica  cultiva sem uso de agrotóxicos, para evitar pragas e doenças? Quais práticas são comuns no sistema de plantio orgânico?

Todo alimento cultivado sem o uso de agrotóxicos é orgânico?

Frutos grandes e bonitos indicam uso de agrotóxicos? Há plantios de orgânico em grande escala?

O que é adubação verde?

Fonte: https://ciclovivo.com.br/vida-sustentavel/bem-estar/14-perguntas-e-respostas-sobre-alimentos-organicos/

Se o consumidor não entende ou não tem claro essas respostas, como ele  terá a noção exata do que está consumindo ou mesmo do detalhamento de como esse produto orgânico é produzido e suas diferenças em relação a produção convencional?

Isso nos leva a outra pergunta: como o produtor ou empresa faria para comunicar isso ao consumidor, sem levantar desconfiança do outro lado?

Como atingir milhares de consumidores com a mensagem correta, evitando a desinformação? Qual o custo dessa comunicação?

Imaginando  uma correlação entre a comunicação (pensando a comunicação como ação ou efeito de comunicar, de transmitir ou de receber ideias, conhecimento, mensagens etc., buscando compartilhar informações. Transmissão ou recepção dessas mensagens: comunicação empresarial). fonte

Com a certificação entendida como  um processo no qual uma entidade independente (3ª parte) avalia se determinado produto atende às normas técnicas. Esta avaliação se baseia em auditorias no processo produtivo …..o resultado satisfatório destas atividades leva à concessão da certificação e ao direito ao uso da Marca de Conformidade (ABNT http://www.abnt.org.br/certificacao/o-que-e)

ato ou efeito de provar um fato como certo ou verdadeiro;  https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/certifica%C3%A7%C3%A3o

Correlação também com a confiança, entendida como credibilidade ou conceito positivo que se tem a respeito de alguém ou de algo; crédito, segurança.

Crença ou fé de que determinadas expectativas se tornarão realidade; esperança.

https://michaelis.uol.com.br/busca?id=n1eG

Veremos que existe um elemento central do processo de certificação de seu produto que se bem trabalhado, pode agregar valor na comunicação de fato com seus consumidores, compradores  e público alvo.

A certificação do produto sendo usada para passar confiança aos clientes e mesmo respondendo um pouco das questões acima colocadas.

Por fim, analisemos algumas tendências de mercado da indústria de alimentos no ano passado, 2020 e como isso “conversa” com o processo de criação de confiança através da certificação.

https://www.mundodomarketing.com.br/reportagens/pesquisa/38551/tendencias-de-mercado-para-a-industria-de-alimentos-em-2020.html Por Thiago Terra – 11/02/2020 Mundo do Marketing

“A Indústria da Alimentação representa aproximadamente 10% do Produto Interno Bruto (PIB)…. e está diante de um mercado cada vez mais exigente, que prioriza preço, produtos saudáveis e processos de fabricação com o menor impacto possível no meio ambiente.

No Brasil, a Indústria de Alimentos conta com cerca de 36 mil empresas, seja de origem nacional ou internacional, com amplo domínio de microempresas fabricantes (80%) (Abia), com dados de 2017”…… “ recentemente o foco passou a ser diminuição de gordura e sódio nos ítens produzidos pela indústria alimentícia.”

“De acordo com dados da Euromonitor, o mercado brasileiro de alimentos e bebidas saudáveis somou R$ 93,6 bilhões em vendas em 2018, com previsão de R$ 110 bilhões para 2019.

Nos últimos cinco anos, as vendas destes itens avançaram 12,3% em média, com previsão de expansão de 4,4% por ano, até 2021. Os alimentos orgânicos estão incluídos nas tendências”

Resumidamente, a leitura dos dados acima nos permite concluir que o mercado cresce; exigências maiores e priorização de produtos saudáveis e que respeitem o meio ambiente em seu processo produtivo estão em curso.

Isso coloca um desafio aos produtores: demonstrar que eles estão produzindo de acordo com estas tendências.

É aceitável supor que um certificado (seja de qualidade ISO; seja de produto orgânico, de comércio justo, etc) pode concretamente ajudar no processo de estabelecer essa confiança na marca do produtor, abrindo canais de vendas (exemplo do varejo no qual supermercados compram o produto orgânico mediante apresentação de certificado válido); abre possibilidade de exportação (mesma lógica, importadores e redes de varejo no exterior que estão longe fisicamente do mercado produtor, embasam suas decisões tendo também um certificado válido  como elemento importante no processo decisório da compra / importação).

No eixo comercial, o certificado abre estes caminhos pois para o comprador é uma chancela de qualidade que foi comprovada por uma entidade independente (certificadora).

No eixo da construção de marca, o certificado e suas referências no produto são uma garantia para o consumidor final, que se sentirá mais a vontade para comprar ou consumir o produto.

Por fim, quanto mais claras e disponíveis para o mercado comprador e consumidor estiverem as informações sobre o processo produtivo no âmbito de uma produção certificada, mais essa relação de confiança entre produtor x comprador e consumidor se fortalecerá.

Fonte: Alexandre Schuch  – Country Manager at Ecocert Brasil