Congresso sobre defensivos agrícolas realizado pela Embrapa se torna livro

Livro Defensivos Agrícolas Naturais: uso e perspectivas. Imagem: Divulgação/Embrapa
Livro Defensivos Agrícolas Naturais: uso e perspectivas. Imagem: Divulgação/Embrapa

O livro “Defensivos Agrícolas Naturais: uso e perspectivas”, publicado recentemente pela Embrapa, nasceu da necessidade de reunir as informações contidas nas discussões científicas e palestras apresentadas durante o V Congresso Brasileiro de Defensivos Agrícolas Naturais, realizado na Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP), onde foi discutido o papel dos defensivos naturais na agricultura do século XXI.

Em seus capítulos iniciais, o livro aborda os temas ligados ao acesso ao patrimônio genético natural, legislação para o desenvolvimento e uso de defensivos naturais, testes laboratoriais e qualidade de análises exigidas para o registro destes produtos. O livro também faz uma análise de questões referentes ao potencial de desenvolvimento  de defensivos naturais derivados de plantas, incluindo questões relacionadas à biodiversidade, tecnologia de obtenção, pesquisa e uso de defensivos agrícolas naturais.

Sob a ótica epidemiológica do controle biológico de pragas, doenças e plantas daninhas e as visões do produtor e da indústria, o livro apresenta o processo de transição para um modelo agrícola de base biológica em diferentes escalas, ou seja, grandes culturas, cultivo intensivo e outros.

Isabel Penteado, chefe adjunta de Transferência de Tecnologia da Embrapa Meio Ambiente, explica que o livro conta com mais de 70 autores ao longo dos 24 capítulos e reúne uma grande e importante quantidade de informações.

“O livro discute aspectos regulatórios e modelagem, até os temas mais diretamente ligados à produção e uso de defensivos naturais, o que certamente será de grande utilidade aos interessados no tema.”

Isabel Penteado – Chefe Adjunta de Transferência de Tecnologia da Embrapa Meio Ambiente

Yelitza Colmenarez, representante regional do Centro Internacional para Agricultura e Biociência para América Latina e Caribe (CABI, sigla em inglês), assina um dos capítulos do livro e destaca que a edição fornece informações atuais, apresentando pesquisas e experiências na utilização dos métodos naturais de controle, com comprovada eficiência, visando aumentar a utilização de práticas mais sustentáveis na produção agrícola.

“Apesar da crescente importância que métodos sustentáveis de controle de pragas vêm ganhando nos últimos tempos, devido principalmente aos efeitos negativos causados pelo uso excessivo e incorreto de agrotóxicos, é difícil encontrar num único livro, recopilação sobre defensivos agrícolas naturais da forma em que se apresenta nesta obra, passando pelo uso dos botânicos, parasitoides,  predadores e entomopatógenos, discutindo de forma crítica o potencial e desafios para o uso, produção e comercialização dos mesmos”, explica Yelitza.

Os editores técnicos, pesquisadores da Embrapa Meio Ambiente, apontaram a atualidade dos temas abordados no livro pela capacidade de contribuir para o avanço e consolidação da temática no país e pelo alto grau de relevância, tanto para pesquisadores e indústrias de insumos, quanto para técnicos e produtores que buscam uma agricultura baseada em sustentabilidade.

Victor Paulo Simão, bibliotecário da Embrapa Meio Ambiente, destaca que a oferta da obra à sociedade certamente trará o benefício da informação a pesquisadores, estudantes, agrônomos, técnicos agrícolas e agricultores, ou seja, todos aqueles atores com algum grau de interesse na produção segura e sustentável de alimentos e produtos vegetais.

Defensivos Naturais

Defensivos agrícolas naturais são aqueles originários de compostos extraídos de plantas, microrganismos, animais e minerais. São sistemas em real expansão que buscam obter vantagens das interações de ocorrência natural. Dão ênfase ao manejo das relações biológicas e processos naturais, contrastando com o modelo usual, que usa defensivos químicos para realizar o controle de pragas.

Ao dar ênfase ao manejo das relações biológicas e processos naturais, estão de acordo com as expectativas dos consumidores que têm buscado cada vez mais produtos mais saudáveis. Por essa razão, o uso de defensivos naturais vem crescendo no Brasil e no mundo, principalmente nas pequenas e médias propriedades agrícolas e na agricultura familiar. Mas, já há casos de sua utilização em grandes propriedades agrícolas.

Diante desse cenário, o mercado de defensivos naturais está crescendo cerca de 16% ao ano no mundo.

No Brasil esse segmento do agronegócio já representa de 3 a 5% das vendas dos pesticidas químicos e há espaço para continuar crescendo. Esse movimento tem colocado os defensivos agrícolas naturais em discussão, como opção viável para a produção saudável de alimentos.

O livro lançado pela Embrapa busca reunir o resultado desses debates no âmbito da pesquisa e pode ser baixado gratuitamente. Para baixá-lo, basta clicar aqui.

Fonte: Embrapa

Veja outras matérias similares: 

SNA debate aplicação de insumos agrícolas na produção de alimentos orgânicos

Anvisa anuncia ter eliminado fila de registros para biodefensivos

Pesquisas desenvolvem novas estratégias para cultivo de orgânicos