Cooperativas orgânicas brasileiras participam da Biofach

foto: OrganicsNet
foto: OrganicsNet

Considerada a maior feira de produtos orgânicos do mundo, a Biofach ocorre entre os dias 12 e 15 de fevereiro de 2014, em Nurembergue, Alemanha. A participação das cooperativas nacionais é coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), com o apoio do Ministério das Relações Exteriores (MRE) e da Embaixada do Brasil em Berlim.

Esta será a décima primeira vez que a agricultura familiar brasileira marcará presença no evento europeu. Somente no último ano de participação, em 2012, os negócios iniciados pelos produtores do Brasil renderam uma quantia superior a US$ 1 milhão – cerca de R$ 2 milhões, levando em conta o câmbio da época. Na ocasião, o MDA havia selecionado dez empreendimentos. Para 2014, a expectativa é que esse montante seja ultrapassado.

“A participação da agricultura familiar brasileira cresceu bastante na Biofach. Esse aumento reflete a expansão das políticas públicas brasileiras desenvolvidas para fortalecer especificamente esse setor”, aponta o chefe da Assessoria Internacional do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Caio França.

As 13 cooperativas participantes são oriundas de oitos estados diferentes – Acre, Bahia, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul e Rondônia. Os empreendimentos foram seleccionados, por meio de uma chamada pública. Entre os critérios de classificação, estavam a posse de uma certificação orgânica internacional, aceita na Comunidade Europeia, e a capacidade de exportar com volume e regularidade.

O diretor do Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valores do MDA, Nilton de Bem, destaca alguns dos benefícios que o evento propicia aos agricultores familiares, sobretudo, no Ano Internacional da Agricultura Familiar (AIAF) 2014, comemoração instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU). “Além da divulgação dos produtos e da própria marca dos empreendimentos, as cooperativas que vão à Biofach recebem uma capacitação internacional, que inclui, por exemplo, visitas técnicas orientadas. Nesse mesmo período, elas também trocam experiências com os outros expositores. Sem contar nos negócios fechados e encaminhados.”

Logo que souberam da oportunidade, os integrantes da Cooperativa de Agricultores Familiares de Poço Fundo (Coopfam), em Minas Gerais, decidiram participar do evento. Com mais de 30 anos de história, o empreendimento é especializado em produzir café orgânico e convencional, do tipo cru ou industrializado. A venda é feita por meio de três linhas diferentes: sustentável, orgânico e orgânico feminino – com sabor mais suave, essa modalidade se destaca por oferecer um grão cultivado e produzido, exclusivamente, por mulheres agriculturas da cooperativa.

Os produtos da Coopfam são comercializados com a marca Café Familiar da Terra. A matéria-prima tem origem nas propriedades rurais das 300 famílias agricultoras, de Poço Fundo e região, que integram à cooperativa.

“A Coopfam já exporta e sabemos como é importante ter clientes lá fora. A oportunidade de estabelecer um contato direto com compradores de outros países, sem nenhum tipo de atravessador, é fundamental para conseguirmos novos mercados. Muitas vezes, a gente descobre um novo comprador, manda e-mail, mas acaba passando batido. Conversando pessoalmente, as chances de fechar negócio aumentam. Por conta própria, seria muito difícil ingressar como expositora em um evento internacional desse porte. Talvez, em um futuro muito distante. A iniciativa do Governo Federal acelera nossa conquista de mercado”, afirma Daiana Tavares.

foto: Weber Haus
foto: Weber Haus

A Casa Apis,  Cooperativas Apícolas do Semiárido Brasileiro, do Piauí, que também participa, esta composta por sete cooperativas, e começou a atuar em 2008 para incentivar o consumo do mel produzido por aproximadamente 100 mil famílias, sendo 75% da agricultura familiar. Segundo o Gerente Comercial, 80% da venda do mel vão para o mercado externo, principalmente para os Estados Unidos e Europa. Em 2013, foram vendidas mais de 300 toneladas do mel a granel em tambores, para outros países. O produto é comercializado no exterior na sua forma convencional, orgânica, bem como, com certificação fair trade (comércio justo). No Brasil, a Casa Apis tem parceria com a rede de supermercados do Grupo Walmart no Nordeste e Sudeste. O mel orgânico é vendido em potes de vidro, bisnaga e spray com própolis. O novo projeto é comercializar o mel em pequenas embalagens descartáveis. Em 2013, mais de 60 toneladas foram vendidas nacionalmente.

Confira a relação dos empreendimentos seleccionados:

– Associação Comunitária de Produção e Comercialização de Sisal (Apaeb Sisal) – Bahia;

– Cachaçaria Weber Haus – Rio Grande do Sul;

– Central de Cooperativas Apícolas do Semiárido Brasileiro (Casa Apis) – Piauí;

– Cooperativa dos Produtores Rurais Organizados para Ajuda Mútua (Coocaram) – Rondônia;

– Cooperativa de Desenvolvimento da Apicultura do Nordeste Brasileiro (Coodapis) – Pernambuco;

– Cooperativa de Produção Agropecuária Nova Santa Rita (Coopan) – Rio Grande do Sul;

– Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Estado do Acre (Cooperacre) – Acre;

– Cooperativa Garibaldi – Rio Grande do Sul;

– Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Coopercuc) – Bahia;

– Cooperativa dos Agricultores Familiares de Poço Fundo e Região (Coopfam) – Minas Gerais;

– Cooperativa de Produtos Orgânicos da Amazônia (Copoam) – Pará;

– Cooperativa dos Citricultores Ecológicos do Vale do Caí (Ecocitrus) – Rio Grande do Sul;

– Cooperativa Vinícola Nova Aliança (Nova Aliança) – Rio Grande do Sul.

fontes: Ministério de Desenvolvimento Agrário, MDA, Portal AZ

 

Share your thoughts