É verdade que você é o que come?

Esse problema já é bem debatido nos Estados Unidos, onde mais de dois terços dos adultos americanos têm sobrepeso ou são obesos, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição de 2007-2008. Até a primeira dama Michele Obama está empenhada em modificar a alimentação das crianças nas escolas. Universidades como Harvard também abordam a questão em cursos, nos quais são estudados casos de empresas e suas propostas inovadoras. Um exemplo é a empresa The Full Yield, que no último ano atingiu rendimentos promissores estimulando a colaboração das indústrias de alimentos e saúde para impulsionar a saúde pública.

A fundadora da Full Yield, Finch Totten, acredita que, nos últimos 50 anos, as duas indústrias têm agido de forma antagônica nos EUA. O resultado foram alimentos altamente refinados e com longo tempo de prateleira, mas que oferecem baixa nutrição. “Para reverter essa situação, será preciso um modelo de negócios colaborativo”, afirma Totten.

Leia o artígo completo publicado na revista A Lavoura: !ALAV682-24-Biotecnologia-2

Share your thoughts