EcoHorta Comunitária inicia plantio experimental de verão em Campos, RJ

EcoHorta prevê reestruturação e produção de produtos orgânicos em vários bairros (Foto: César Ferreira/Secom Campos).
EcoHorta prevê reestruturação e produção de produtos orgânicos em vários bairros (Foto: César Ferreira/Secom Campos).

O programa Eco Hortas Comunitárias, da Prefeitura de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, através da Secretaria de Agricultura, prossegue com o trabalho de reestruturação e produção de produtos orgânicos em vários bairros do município. Estagiários da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) e agrônomos da Pesagro-Rio também trabalham em parceria com a secretaria na orientação das novas técnicas do programa.

Em cada EcoHorta há um cuidador do próprio bairro para realizar o trabalho de irrigação, limpeza e a produção de legumes e verduras, como batata, cenoura, acelga, alface, couve, cheiro verde, beterraba, brócolis, sementeira de alface e de chicória.

O agrônomo José Márcio Ferreira, responsável pelo Projeto de Produção Agroecológica Sustentável da Pesagro-Rio, acompanha o programa EcoHorta Comunitária. “Junto à Secretaria de Agricultura, começamos a realizar técnicas para produção de fertilizante natural, a partir de matérias orgânicas vegetal e animal. Já temos o cultivo protegido, através do sombrite, que evita uma grande perda, impedindo a intensa radiação solar sobre as EcoHortas, e equipamentos para irrigação que amenizam a seca. Agora, iniciamos uma fase experimental de plantio de culturas que normalmente não são produzidas no verão”.

“Mesmo com os equipamentos experimentais de sombreamento para proteção solar e os de irrigação que estamos utilizando, neste período de verão é normal uma pequena queda na produção. Mas, devido à prolongada estiagem que nossa região está passando, a seca não está permitindo que as sementes germinem no tempo certo e correspondam ao trabalho e à dedicação dos horticultores”, explica o secretário Eduardo Crespo.

Terrenos baldios, que acumulavam lixo e animais transmissores de doenças, estão dando lugar a EcoHortas Comunitárias. O programa beneficia horticultores e suas famílias, com uma nova atividade geradora de renda; donos dos terrenos, que ficam isentos do IPTU; entidades filantrópicas, que recebem as hortaliças não comercializadas; e as comunidades próximas das hortas, que têm acesso a verduras livres de agrotóxicos e ganham uma área mais bonita e de preservação ambiental.

“O horticultor recebe todos os insumos, como sementes, mudas e matéria orgânica; ferramentas para preparo do solo e cultivo das hortaliças (pá, regador, jogo de mão, enxada, enxadão, ancinho e mangueira), e, além da assistência dos técnicos da secretaria, ficam isentos do pagamento da água utilizada na irrigação”, ressalta o coordenador de Produção Agropecuária, Oswaldo Curty.

Donos de terrenos e horticultores interessados em participar do programa devem se cadastrar na sede da Secretaria de Agricultura, na Avenida Presidente Vargas, 180, Pecuária. Os horticultores selecionados são encaminhados para hortas, que, preferencialmente, ficam mais perto de suas residências.

Fonte: G1

Share your thoughts