Empresas da rede OrganicsNet/SNA lançam novos produtos na BioBrazil Fair

Seis empresas que integram a rede OrganicsNet da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA) estarão presentes na próxima edição da BioBrazil Fair/Biofach América Latina, uma das principais feiras do setor de produtos orgânicos, naturais e sustentáveis do País. O evento será realizado de 8 a 11 de junho no Anhembi, em São Paulo.

Com investimentos nas áreas de bovinocultura leiteira, caprinocultura de corte, produção de mel e derivados, cultura de mangas, entre outras, a Fazenda Tamanduá, no sertão paraibano, está ampliando sua linha de produtos derivados da apicultura biodinâmica, e durante a feira, mostrará ao público, além dos produtos tradicionais, novidades como o extrato de própolis biodinâmico e cápsulas de spirulina, um tipo de microalga indicada para o reforço do sistema imunológico.

A empresa voltou a produzir melão e melancias biodinâmicas e arroz colorido, castanho e negro, graças a uma parceria com a Embrapa Meio-Norte. Para o proprietário da Fazenda Tamanduá, Pierre Landolt, as perspectivas para o mercado de orgânicos no Brasil são muito positivas, “apesar de o setor crescer de forma muito lenta”.

“Considerando não somente a preocupação cada vez maior dos consumidores em relação à qualidade e a origem dos produtos, mas também a atual crise dos insumos, o setor orgânico, com suas técnicas originais, pode ser uma resposta mais barata e sustentável em matéria de adubação e defensivos”, destaca Landolt.

Grãos

A Coopernatural, cooperativa do Rio Grande do Sul, está expandindo sua linha de grãos orgânicos e levará para a BioBrazil sete tipos de feijão e sete tipos de arroz. “Parece algo simples, mas no setor orgânico organizar agricultores (do Rio Grande do Sul, Goiás, Santa Catarina e Paraíba) para produzir todos estes grãos é algo muito desafiador”, salienta o diretor-presidente da cooperativa, Ricardo Fritsch.

Segundo ele, “apesar dos avanços como a legislação brasileira, que também favorece os pequenos agricultores com instrumentos como certificação participativa, por meio da Organização de Controle Social (OCS), o mercado de orgânicos precisa ampliar a cooperação com outros países”.

Além disso, ressalta Fritsch, os agricultores orgânicos necessitam de uma linha de crédito “realmente efetiva e com recursos representativos”. O empresário afirma ainda que a cadeia de produção orgânica precisa ser contemplada pela reforma tributária, a fim de “motivar mais agricultores a fazer a conversão para o orgânico, e principalmente para beneficiar o consumidor”.

Geleias

A Novo Citrus, também do Rio Grande do Sul, estará lançando na BioBrazil uma linha de geleias diferenciadas, como a de tangerina com especiarias e combinações com pequenas frutas como uva e mirtilo e laranja com kinkan. “Também será lançada a nossa saborosa e refrescante limonada”, informa o diretor comercial William Rocha.

Segundo ele, o setor orgânico começa a se recuperar após o impacto da pandemia. “No varejo em geral se percebe uma procura maior no pós-pandemia. Restaurantes, lanchonetes e cafeterias, que sobreviveram à crise, também estão aumentando suas compras devido ao maior fluxo de pessoas”.

Ovos

A Raiar Orgânicos, empresa de São Paulo, vai apresentar ao público seu carro-chefe, que são os ovos orgânicos e, além disso, participará de uma mesa-redonda organizada pela Folio sobre a importância do mercado de proteínas orgânicas.

“Nosso modelo de produção é baseado em tecnologia, fomento ao pequeno produtor rural e no bem-estar das galinhas poedeiras. Um cuidado do campo à mesa. Para nós, ovo é orgânico e ponto final”, declara Luís Barbieri, cofundador da Raiar.

A empresa tem ainda como parceira a Gaivota, plataforma de tecnologia que tem por objetivo “construir e disseminar o conhecimento com o produtor rural e formar uma grande rede de produtores de grãos orgânicos no País”, explica Barbieri.

A produção de ovos também ganha destaque na Fazenda da Toca. Situada em Itirapina (SP), a cerca de 200 km da capital paulista, a propriedade ocupa 2.300 hectares com 100% da área certificada orgânica.

Durante a feira, a empresa, além de mostrar seu portfólio completo de ovos orgânicos, com direito a sessões de degustação, estará divulgando os princípios da agricultura regenerativa, um modelo que garante produção em abundância e, ao mesmo tempo, regenera os ecossistemas naturais. O tema será abordado em uma palestra ministrada à ocasião pelo sócio-fundador da Fazenda da Toca, Pedro Paulo Diniz.

Para o coordenador de Comunicação e Sustentabilidade da Fazenda da Toca/Rizoma Agro, Paulo de Araújo, a cadeia produtiva orgânica está cada vez mais estruturada, ganhando escala, eficiência e fazendo uso de inovações tecnológicas. Segundo ele, “esse conjunto de fatores abre novas perspectivas para fortalecer um sistema alimentar com maior capacidade de impacto positivo no planeta”.

Molhos

Localizado na região serrana de Petrópolis (RJ), o Armazém Sustentável também participa da BioBrazil, e dessa vez com um estande maior, para divulgar sua linha de molhos de tomate orgânicos com cinco opções: Tradicional, com Manjericão, com Funghi, com Azeitonas e com Pimenta.

O sócio responsável pela produção na empresa, Gustavo Aronovick, acredita que “o segmento de orgânicos vem conquistando público, devido à qualidade intrínseca do produto que oferece, mesmo com o pouco incentivo que recebe, principalmente dos órgãos governamentais”, que, segundo ele, “poderiam contribuir com incentivos vários, desde fiscais a financiamentos mais generosos e menos burocráticos”.

Rede comunitária

A OrganicsNet, rede comunitária de produtores orgânicos para acesso ao mercado, tem como objetivo principal estimular a cadeia de produção orgânica por meio de uma plataforma virtual, inaugurada em março de 2008,  que apoia pequenos e médios produtores, agroindústrias e cooperativas de orgânicos.

Além de promover o estímulo à integração, incentivando a troca de informações no setor, a rede, que conta atualmente com a adesão de mais de 45 empresas, busca garantir visibilidade ao negócios e incrementar o conhecimento do produtor sobre as demandas do consumidor e de seus mercados.

Fonte: OrganicsNet