FAPESP e Koppert anunciam um importante acordo para pesquisas visando o controle biológico de pragas

Reprodução: Instagram Koppert Brasil
Reprodução: Instagram Koppert Brasil

Foi anunciado um acordo de pesquisa entre a FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e a Koppert do Brasil. Esse acordo prevê o desenvolvimento de produtos biológicos para o controle de pragas e doenças. A parceria entre a FAPESP e a empresa holandesa terá duração de dez anos e serão investidos cerca de R$ 20 milhões, divididos em partes iguais pelas duas instituições.

A Koppert, empresa líder no mercado internacional de proteção biológica de culturas, atua desde 1967 com sede na Holanda. A sede brasileira está localizada em São Paulo, na cidade de Piracicaba, onde mantém um departamento próprio de Pesquisa e Desenvolvimento. Nesse departamento, uma equipe de pesquisadores busca aperfeiçoar tecnologias de controle biológico para a agricultura tropical.

A proposta é desenvolver diferentes pesquisas com o objetivo de estruturar um sistema voltado para soluções naturais, com o manejo integrado de pragas e doenças na produção agrícola, visando a saúde do cultivo, sua resistência e produtividade. A criação de um Centro de Pesquisa Aplicada em Controle Biológico também está prevista nessa parceria.

“Na agricultura brasileira existem diferentes produtos para a resolução de diferentes problemas. Pretendemos, junto com as universidades, encontrar as soluções mais apropriadas, o que inclui não apenas o desenvolvimento de agentes biológicos específicos, como as maneiras corretas de aplicá-los no campo”.

 Paul Koppert, presidente mundial da Koppert

“O acordo com a Koppert permite à FAPESP criar oportunidade para que a comunidade de pesquisa em São Paulo, em universidades e institutos de pesquisa, se associe à empresa para descobrir novos conhecimentos e aplicações na área de controle biológico. O modelo de Centros de Pesquisa em Engenharia, criado pela FAPESP, é inovador e tem poucos paralelos internacionalmente, permitindo que a equipe de pesquisa da empresa se entrose e desenvolva uma real colaboração com a equipe da universidade ou instituto de pesquisa, dado o longo prazo do contrato”, afirma o diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz.

Para Danilo Scacalossi Pedrazzoli, diretor industrial da Koppert, o acordo com a FAPESP vai aproximar e melhorar o relacionamento empresa-universidade, o que já é comum nos Estados Unidos e em países europeus. Danilo ainda comenta o retorno que o acordo poderá trazer. “O acordo trará retorno rápido no desenvolvimento de conhecimento focado em soluções sustentáveis em agricultura tropical, o que é inédito no mundo. O Centro FAPESP-Koppert trará ao mercado conhecimento prático no manejo de pragas e doenças, catalisando o conhecimento desenvolvido nos últimos 40 anos pelas universidades paulistas, precursoras no setor”.

Segundo dados da Koppert, o Brasil apresentou um crescimento de mais de 200% na produtividade nos últimos 30 anos, com apenas 45% de aumento da área cultivada. “O foco e o desafio atual são aumentar ainda mais esta produtividade, sem expansão de área. O manejo integrado, onde se encaixa o controle biológico, pode contribuir para este aumento de produtividade, promovendo o uso racional e mais eficiente de ferramentas de proteção de plantas e redução de custos”, finaliza Danilo Scacalossi Pedrazzoli.

Fonte: Site Oficial da Koppert Biological Systems

Veja outras matérias similares:

Controle biológico precisa ser mais barato e disponível, diz Joop van Lenteren

Campanha de controle biológico beneficia agricultores em Sagrada Família