Feirantes vendem produtos com agrotóxico como orgânicos

                    fantastico organicos

Uma das principais diretrizes do mercado de orgânicos é a responsabilidade de não produzir alimentos com quaisquer substâncias químicas, como por exemplo, o agrotóxico. Dessa forma, a demanda por uma vida mais saudável aumenta, proporcionalmente à procura por esse tipo de alimento. Porém, é preciso que os consumidores sejam conscientizados para que não acabem escolhendo alimentos produzidos de maneira convencional e ditos como orgânicos, literalmente.

Para ser considerado orgânico, o agricultor precisa respeitar o meio ambiente e pagar seus funcionários de forma justa. Mas existem aqueles que não fazem nada disso, e mesmo assim, oferecem produtos como se fossem orgânicos. Estes, se aproveitam de um mercado que cresce mais de 20% ao ano e não é fiscalizado suficientemente.

Imagem: Rede Globo
Presidente da SNA, Antônio Alvarenga. Imagem: Rede Globo

Em entrevista ao Fantástico, o Presidente da Sociedade Nacional de Agricultura – SNA, Antônio Alvarenga, indicou que produtores que comercializam “Falsos orgânicos” devem ser punidos com rigor e afirmou que é necessário incrementar a fiscalização pública. Os organizadores e responsáveis pelas feiras municipais, assim como as certificadoras, devem ficar mais atentos e descredenciar, os produtores que não cumprem a legislação orgânica.

O Fantástico acompanhou durante meses alguns desses fraudadores e mostra como eles se aproveitam da boa fé dos consumidores para faturar muito e domingo, mostrou uma pesquisa sobre os “falsos orgânicos”. Confira a matéria completa: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2016/01/feirantes-vendem-produtos-com-agrotoxico-como-organicos.html

A fim de instruir os consumidores que buscam uma alimentação saudável a reconhecer os alimentos verdadeiramente orgânicos, o Centro de Inteligência em Orgânicos lançou a Campanha pela Valorização da Produção Orgânica. Conheça: https://www.organicsnet.com.br/2015/12/entidade-lanca-campanha-contra-invasao-de-supostos-produtos-organicos-no-mercado/