Governo vai incluir frutas e hortaliças orgânicas na merenda escolar

O alerta sobre a qualidade da merenda servida na rede pública apareceu em oito escolas do Plano Piloto, onde foram encontradas larvas no arroz – que venceria apenas em setembro. Hoje, a empresa que vendeu o arroz para o governo no ano passado recolheu o produto estragado. Ao todo, foram recolhidos 800 quilos, e as escolas receberam um novo lote.

No depósito da Secretaria de Educação, a comida estocada é suficiente para abastecer a rede até abril. O estoque de enlatados, como feijão e seleta de legumes, por exemplo, não será reposto. Quando acabarem, os produtos vão ser substituídos por alimentos orgânicos.

A Secretaria de Educação preparou uma chamada pública, é uma licitação focada nas cooperativas de agricultura familiar. O governo quer comprar delas arroz, óleo de soja, farinha de mandioca, leite em pó, bebida láctea, frutas, hortaliças e iogurte.

O governo tem R$ 15 milhões para a compra dos produtos orgânicos. De acordo com a Secretaria de Educação, sobrou dinheiro do ano passado, quando dos R$ 9 milhões previstos, foram gastos apenas R$ 2 milhões. A gerente de alimentos escolares, Eliene Ferreira Sousa, garante que não faltam alimentos, mas admite que ainda há problemas pontuais no preparo da comida em algumas escolas.

“A presença dos merendeiros já está acontecendo, os merendeiros já estão chegando às escolas, praticamente todas as escolas já têm. Foi um problema pontual e isso vai ser equacionado, até porque existe um processo licitatório em andamento e tão logo isso seja concluído os merendeiros vão estar nas escolas”, explica.

Fonte: http://dftv.globo.com/Jornalismo/DFTV/0,,MUL1648663-10040,00.html

Share your thoughts