Hortas Urbanas

O gaúcho Hans Dieter Temp cresceu no interior do estado, cultivando a terra. Estudou administração de empresas no Rio de Janeiro e, na Alemanha, fez um curso técnico em agropecuária e políticas ambientais. Já em São Paulo, mudou-se para uma região cheia de terrenos baldios. “A população jogava lixo, entulho. Pensei: se vou morar aqui, preciso fazer algo para melhorar o lugar”, conta. Depois de conversar com o proprietário do lote, conseguiu permissão para cultivar alimentos orgânicos. Em pouco tempo, jovens da região quiseram trabalhar na horta e a ideia se multiplicou, chegando a outros três terrenos do bairro.

Descoberto pela prefeitura, Hans foi convidado a coordenar um programa de agricultura urbana. “Chegamos a ter sete hortas comunitárias, mas o projeto foi descontinuado.” Para não esmorecer o entusiasmo das famílias envolvidas, ele criou em 2003 a ONG Cidades Sem Fome, bancada por patrocinadores como Petrobras, Eco Urbis Ambiental, Fundação Interamericana de Desenvolvimento e Instituto HSBC Solidariedade. Resultado: hoje são 21 hortas na grande São Paulo, que empregam 110 pessoas e beneficiam centenas de famílias com alimentos orgânicos e cursos de capacitação.

Fonte: : http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/atitude/suzano-areas-abandonadas-hortas-urbanas-611001.shtml

Share your thoughts