Impulsionando a agroecologia

A implantação do Projeto de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais) em 11 municípios de Mato Grosso promete ser um marco na agricultura familiar do Estado. Cerca de 200 famílias serão contempladas com o Pais.  O Projeto considerado ‘modelo’ está sendo desenvolvido pelo Instituto Morro da Cutia de Agroecologia (IMCA) em parceria com a Fundação Banco do Brasil. O Pais é uma tecnologia social destinada, principalmente, a agricultores familiares de baixa renda, assentados em projetos de reforma agrária, produtores e quilombolas.

As famílias contempladas serão assistidas por técnicos no período de 18 meses. De acordo com diretor do Instituto e coordenador do IMCA, Adriano Martins e a coordenadora do Pais, Andréa Hartmann, o tempo de um ano e meio é considerado suficiente para que o produtor consiga dar continuidade ao trabalho realizado pelos técnicos que serão multiplicadores de informações. Para se ter uma ideia o custo de cada projeto é de aproximadamente R$ 10 mil entre sementes, animais, irrigação e assistência técnica para garantir o sucesso da produção.

O secretário de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), Jilson Francisco da Silva, indicou que “o Governo do Estado sente-se honrado em poder apoiar esse projeto colocando a disposição as Secretarias em prol da agricultura familiar em Mato Grosso, que visa fortalecer com a implantação deste projeto.”

Entenda o PAIS

É uma tecnologia social de produção irrigada voltada à agropecuária de pequeno porte, composta por um galinheiro central e canteiros em forma circular, piquetes para pastejo das aves, quintal com plantas frutíferas, nativas ou ornamentais e viveiro de mudas, conduzidos de acordo com os princípios da agroecologia. Os agricultores e suas famílias têm a oportunidade de conhecer uma produção integrada (que pode ser de horticultura, flores ornamentais ou ervas medicinais, com a produção de carne de aves, ovos e frutas). Além disso é uma produção otimizada com mais eficiência de espaço, insumos e trabalho, o que melhora a qualidade da alimentação e oferece uma complementação de renda para a família, com a venda do excedente.

Mais informações podem ser adquiridas na sede da Sedraf, através do telefone: 3612-6204 ou pelo site www.morrodacutia.org

fonte: Agrolink

Share your thoughts