Investir na regeneração por meio do solo: entrevista com Pedro Paulo Diniz

Pedro Paulo Diniz, fundador da Fazenda da Toca, posa para foto em sua propriedade em Itirapina (SP). Foto: Renato Stockler (Folhapress)

A agricultura tem grande potencial para recuperar os ecossistemas do planeta Terra. Dessa forma, é possível entender a grande importância da agricultura regenerativa orgânica. Nesta entrevista, Pedro Paulo Diniz, sócio-fundador da Fazenda da Toca e da Rizoma Agro, relata sua experiência com o método de reabilitação de sistemas alimentares e agrícolas.

“É de suma importância investir na regeneração por meio do solo, que é o lugar onde há mais vida no planeta”, ressalta Diniz. “Quando essa vida é regenerada, traz com ela a produtividade, recupera a biodiversidade e ‘sequestra’ CO² para o solo fértil, sendo esse ‘sequestro’ um processo de remoção de gás carbônico da atmosfera, por meio da fotossíntese”.

Para o especialista, a agricultura regenerativa “é uma forma de entender como a natureza opera, conhecendo seu fluxo”. Neste caso, diz ele, “a natureza não deve ser pensada como uma fábrica em que você minimiza e tenta simplificar os processos. É preciso saber como operar junto a ela”.

Diniz considera “uma missão de vida” o desenvolvimento em larga escala de uma agricultura que preza pela colaboração do ser humano com a natureza, sem a pretensão de domínio sobre o sistema, e que possa garantir alimentos saudáveis e de qualidade, atendendo às atuais demandas dos consumidores.

Para ele, o futuro é colaborativo. “Quando a gente colabora, geramos abundância. Quando a gente compete, geramos escassez”.

Veja a entrevista realizada pela revista Istoé Dinheiro: