Motores da economia verde: as instituições financeiras

De acordo com o Relatório da Economia Verde (Green Economy Report), elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), seria necessário um investimento de 2% do PIB global anual para viabilizar a transição  para uma economia mais verde baseada na sustentabilidade e conservação de recursos. Entretanto, uma grande parcela do dinheiro continua sendo despejada em projetos não sustentáveis, que são planejados a partir de benefícios de curto prazo e não consideram consequências ecológicas e sociais.

Para mudar esse cenário, o PNUMA iniciou, em 2003, uma parceria global com instituições do setor financeiro privado. Hoje, quase dez anos depois, mais de 200 organizações financeiras de diversos setores globais são membros da Iniciativa Financeira (PNUMA FI). O objetivo da Iniciativa é integrar proteção ambiental e sustentabilidade com serviços de setores financeiros, e encorajar o investimento em tecnologia verde.

A Companhia de Investimento Alemã (DEG) tem mostrado como instituições financeiras podem investir em iniciativas sustentáveis e, ao mesmo tempo, ganhar dinheiro. A DEG é comprometida com iniciativas empreendedoras, em nações emergentes, ou em desenvolvimento, que respeitam as normas ambientais e sociais, e cujo trabalho tem impacto positivo sobre as políticas de desenvolvimento implementadas localmente. Em novembro, nos dias 27 e 28, acontecerá, na cidade de Bonn, na Alemanha, a Conferência de Sustentabilidade, SusCon 2012.

Fonte: Organic-Market.Info

Share your thoughts