Nobel alternativo para bispo brasileiro por defesa a índios e a amazônia

O bispo brasileiro, Erwin Kräutler, foi agraciado com o prêmio Right Livelihood Award, conhecido como “Nobel alternativo 2010”, por toda sua luta pela preservação da Amazônia e da vida indígena.

Kräutler tem um longo histórico de luta em prol de um mundo mais justo e sustentável. Em 1980 se tornou bispo da arquidiocese da região paraense do Xingu, onde atua até hoje, ganhando notoriedade pela sua incessante luta pelos índios do local. Seu trabalho possibilitou a inclusão dos direitos indígenas na Constituição brasileira de 1988.

Foi opositor ferrenho da construção da hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu, em virtude dos prováveis, e irreparáveis, danos ambientais que ela acarretaria. Devido ao seu trabalho junto a ONG Amigos da Terra, acabou se tornando um dos principais ativistas em prol dos direitos humanos e do meio ambiente frente às corporações multinacionais.

O nigeriano Nnimo Bassey, o nepalês Shrikrishna Upadhyay e a organização israelense Médicos pelos Direitos Humanos (PHRI, na sigla em inglês), também receberam o prêmio que, para muitos, é a ante-sala do Nobel.

O Right Livelihood Award (Prêmio Modo de Vida Correto) foi adotado em 1980 pelo escritor e ex-eurodeputado sueco-alemão Jakob von Uexküll.  O intuito da homenagem é enaltecer o trabalho social de pessoas e instituições. Posteriormente, muitos de seus vencedores acabaram ganhando o Nobel.

Share your thoughts