Orgânicos: Eles estão por toda parte!

organicos

Nos supermercados, feiras ou através do método CSA – Community Supported Agriculture ( Agricultura Sustentada pela Comunidade), os orgânicos estão cada vez mais próximos e acessíveis, mostrando assim um reflexo da profissionalização da cadeia produtiva e do amadurecimento do consumidor, a oferta cresce de maneira consistente. O cenário atual já oferece a possibilidade de você escolher o quanto orgânico você quer ser, como consumidor: do extremo ao mais cômodo – no supermercado, entre um produto de limpeza e um cereal matinal atualmente é possível comprar to mates livres de agrotóxicos.

“O consumo de orgânicos carrega uma reconexão com o ingrediente”, diz a professora Maria Ângela Fagnani, da Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Unicamp. O consumidor quer conhecer onde, em que época e por quem cada alimento é cultivado, num comportamento que, com tempero ativista, já tem nome: progressismo culinário.

Esse cenário fez surgir coletivos que buscam produtores locais dispostos a vender direto ao consumidor, sem mediadores, estreitando os laços entre o campo e a cozinha de casa.

São dois tipos principais: os grupos de consumo responsável (GCR), que firmam acordos com produtores para comprar coletivamente; e os grupos de agricultura sustentada pela comunidade , em que membros e produtores são sócios, dividem custos e produção.

Onde os orgânicos estão?

Supermercados

Você vai ao supermercado de sempre e em vez pegar tomate convencional, pega o orgânico. É a compra que exige menos envolvimento com a cadeia do orgânico. O conforto tem preço: paga-se mais.

Feiras

Ir à feira de orgânicos é dar um passo. É preciso se programar, saber aonde e quando ir. Por outro lado, as vantagens são muitas: oferta maior, preço menor, contato com o produtor.

Cestas

Ao assinar uma cesta de orgânicos você está dizendo ao produtor que ele pode produzir aquele alimento. É um compromisso que ajuda a organizar a vida de quem está na ponta de lá dessa relação de consumo.

Grupos de Consumo Responsável

São formados por pessoas que se reúnem para negociar diretamente com pequenos produtores. Em linhas gerais, em vez de comprar uma cesta organizada por alguém, você e seus associados organizam a sua própria cesta. As compras são coletivas. Para o produtor é ótimo: ele sabe que vai vender aquele volume todo mês. Para o comprador, é garantia de saber exatamente a procedência do alimento.

CSA 

O produtor oferece ações de sua fazenda e o consumidor vira sócio investidor com direito a uma parte do que é produzido ali – quase sempre materializado na forma de uma cesta semanal. O grupo de consumidores divide os custos do produtor, que usa a propriedade para cultivar exclusivamente para esses consumidores.

Fonte: O Estadão

CONHEÇA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK TWITTER

Share your thoughts