Loading posts...
  • Agricultura orgânica no Brasil: um estudo sobre o Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos

    A publicação da Embrapa tem o objetivo de avaliar o desenvolvimento da agricultura orgânica nas regiões e estados do Brasil a partir dos dados do Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos (CNPO) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e, apresentar um panorama geral da produção e do mercado de orgânicos no Brasil e no mundo.

  • Banana, a fruta que pode se tornar o principal produto da nossa produção orgânica

    O manejo natural da banana torna a fruta uma das culturas mais fáceis de se adaptar ao sistema orgânico. De acordo com Ana Lúcia Borges, pesquisadora da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Mandioca e Fruticultura, aproximadamente, dois terços de toda a massa da bananeira retorna para o solo, restituindo quase 70% dos nutrientes que produz, não sendo necessário colocar tanto adubo. E isso vem de encontro com os métodos orgânicos, que exigem técnicas ambientalmente sustentáveis e a não utilização de agrotóxicos ou adubos químicos solúveis.

  • Nos EUA, da saúde à economia, os orgânicos continuam gerando grandes resultados

    De acordo com dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o gasto federal em orgânicos anualmente, incluindo o Programa Nacional Orgânico, é de US$ 12 milhões, produzindo grandes retornos a partir de um pequeno investimento. No balanço feito no ano passado esse valor girava em torno de US$ 9 milhões.

  • IBD aprova primeiro adjuvante sustentável para a agricultura orgânica

    O IBD aprovou o primeiro adjuvante sustentável para uso na agricultura orgânica. O produto aprovado aumenta o desempenho da pulverização, gerando eficiência operacional e ambiental na produção de cultivos orgânicos. Trata-se de um superespalhante, que traz inúmeras vantagens para o agricultor, como maior rendimento e facilidade no manejo do produto, redução dos custos operacionais, economia de água, resistência à chuva, entre outras.

  • Ana Maria Primavesi, expoente maior da agroecologia, completa 98 anos

    Ana Maria Primavesi, a primeira mulher a afirmar, num meio exclusivamente masculino, que o solo tem vida, completa 98 anos. A engenheira agrônoma formada pela Universidade Agrícola de Viena veio para o Brasil nos anos 50 onde iniciou a carreira acadêmica e a atuação militante. Se hoje a agricultura orgânica renasce como alternativa efetivamente viável para alimentar a população mundial, aliando à produção de alimentos a conservação dos solos, deve-se principalmente aos estudos de Ana Primavesi.

  • Orgânicos da Região Serrana do Estado chegam aos bairros cariocas

    De um sítio comprado para lazer e descanso aos finais de semana a um dos grandes produtores orgânicos da Região Serrana do Rio de Janeiro. Essa é a história da Manacá Orgânicos, empresa focada em entregas a domicílio em bairros da Zona Sul, Recreio e Barra da Tijuca.

  • Fertilizante orgânico é desenvolvido a partir da biomassa de plantas

    Produzido a partir da biomassa aérea (parte da planta que fica para fora da terra) de espécies leguminosas, o N-verde é um fertilizante orgânico vegetal rico em nitrogênio (N) e de fácil aplicação.

  • São Paulo implementa protocolo de transição para agroecologia

    O protocolo de transição traz “diretivas técnicas” que orientam o agricultor a implementar as mudanças efetivamente. Tais diretivas preveem práticas de conservação do solo, controle de erosão, uso de fertilizantes orgânicos e adubos verdes, uso racional e aproveitamento da água, manejo ecológico de pragas e doenças, correta destinação de resíduos sólidos e adesão ao programa de regularização ambiental (PRA).

  • Mais de 80% dos produtores de orgânicos têm dificuldades e recorrem a ajuda técnica

    A Yoorin Fertilizantes, uma empresa especializada em transformar minerais em fertilizantes de alta eficiência agronômica, entendendo este cenário, passou a investir fortemente em assessoria técnica e qualificação de sua equipe, promovendo visitas de engenheiros agrônomos treinados para esse tipo de cultivo em pequenos, médios e grandes produtores. A empresa possui duas linhas de produtos certificados para utilização em agricultura orgânica.

  • O holandês que foi de entusiasta de agrotóxicos a pioneiro de orgânicos no Brasil

    Quando estava com cerca de 40 anos, Joop era, em suas próprias palavras, um “especialista em veneno”. Hoje, aos 79 anos, o holandês é um dos pioneiros da agricultura orgânica no Brasil, seu sítio é o sétimo certificado como orgânico no país, e um forte opositor dos agrotóxicos.