Loading posts...
  • Governo reduz imposto visando a ampliação do mercado para o gado orgânico

    O Governo do Estado assina na última quinta-feira (22) o decreto que regulamenta o incentivo para produção de carne sustentável e orgânica por produtores do pantanal sul-mato-grossense. Reduzindo o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços), a expectativa é aumentar o abate de gado orgânico para 30 mil em 2019.

  • Governo concederá incentivo fiscal aos produtores de gado orgânico no Pantanal

    Produtores rurais do Pantanal de Mato Grosso do Sul que desejarem criar gado orgânico terão como incentivo isenções fiscais. Para ser certificado pelos órgãos governamentais como orgânico, o boi precisa, entre outras coisas, ter uma alimentação baseada em grãos e rações isentas de transgênicos, além de ter o peso e as vacinas controlados por registros individuais desde o nascimento.

  • Gado orgânico produz carne, bolsas e sapatos sem destruir a Amazônia

    “O equilíbrio entre a pecuária e a floresta não é só uma obrigação legal, também garante um aumento da produtividade”, explicou o pecuarista Lacir Soares, que adotou novas práticas de produção reduzindo o impacto ambiental.

  • Pecuaristas de Tangará da Serra são pioneiros na produção de carne orgânica

    A região de Tangará da Serra, localizada no estado do Mato Grosso possui o maior rebanho bovino e bubalino do país. Além disso, a região também é pioneira na produção de carne orgânica com o maior rebanho brasileiro. A produção é certificada pelo Instituto de Certificação Biodinâmico (IBD), sendo abatida integralmente pela rede JBS-Friboi.