Loading posts...
  • Especialistas divergem sobre os “benefícios” dos alimentos transgênicos

    Segundo o engenheiro agrônomo e ex-coordenador de Agroecologia (Coagre) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Rogério Pereira Dias, não há um consenso científico em relação aos riscos do consumo dos transgênicos. Ele prega o princípio da precaução. “Não acho que a sociedade deva ser cobaia num processo em que fica claro que o uso dessa tecnologia tem como objetivo principal o lucro para algumas empresas que passaram a poder ‘patentear’ as suas sementes e criar reservas de mercado ao associarem as sementes aos agrotóxicos produzidos por elas mesmas”, afirma.

  • Mantida obrigação de identificar transgênicos no rótulo

    Os produtos alimentícios que contém ingredientes transgênicos devem identificar a presença de componentes geneticamente modificados no rótulo da embalagem. A decisão foi tomada pelo ministro Edson Fachin, do STF, alegando o direito à informação previsto no Código de Defesa do Consumidor.

  • Alemanha proibirá cultivo de GMO

    Sob as novas regras da União Europeia que permitem que os Estados membros façam uso opcional do cultivo de transgênicos, Alemanha indicou que não permitira o cultivo de transgênicos.

  • Alimentos orgânicos, hidropônicos e transgênicos: afinal, o que é melhor?

    Quando pensamos em ter um estilo de vida saudável, precisamos estar ainda mais conscientes em relação à origem e produção dos alimentos que nós consumimos

  • UE modifica regras para transgênicos

    O Parlamento Europeu concordou em deixar a cargo dos países do bloco a decisão de cultivar culturas geneticamente modificadas. A estratégia visa por fim a anos de impasse regulatório, que têm atrapalhado as atuais negociações comerciais com os EUA, maiores produtores de sementes transgênicas.

  • Rotulagem, alimentos locais e agroecológicos

    Tal como acontece com as tendências de consumo de alimentos, o clamor popular para que os alimentos sejam rotulados também mudou drasticamente nos últimos anos. “Há uma enorme diferença em relação a dez ou quinze anos atrás, ou mesmo há cinco anos “, destacou.

  • Transgênicos para quem?

    O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), por meio do Núcleo de Estudos Agrários e de Desenvolvimento, promoveu uma publicação intitulada: Transgênicos para quem? Agricultura, Ciência e Sociedade. Nesta consta questões biológicas e sociais ligadas a biossegurança dos transgênicos.

  • Alimentos transgênicos deverão ficar separados no supermercado

    A partir de junho, alimentos que usam transgênicos na composição deverão ter um lugar específico para serem expostos no supermercado, longe dos produtos similares. A lei estadual número 14.274 do Código de Defesa do Consumidor tem o objetivo de deixar claro para o consumidor o tipo de produto que ele está comprando.

  • Transgênicos terão embalagens diferentes

    Produtores e distribuidores serão responsáveis pelas informações nos rótulos dos alimentos.

  • Transgênicos: agora é lei

    Agora é lei: os produtos transgênicos comercializados no Estado de São Paulo deverão ser rotulados e rastreados. O comércio tem seis meses para se adaptar à nova legislação e os produtos transgênicos deverão ser expostos em local específico, para evitar que o consumidor se engane no momento da compra.