Loading posts...
  • Grandes marcas apostam no segmento de alimentos orgânicos

    Mãe Terra, criada em São Paulo, em 1979, em um negócio avaliado pelo mercado entre R$ 120 milhões e R$ 150 milhões. Quando foi comprada, o ritmo de expansão da Mãe Terra era de 30% ao ano. Em seu portfólio há uma linha de produtos com a chancela da chef natureba Bela Gil. Na época da compra, a Mãe Terra era a nona maior empresa do Brasil no segmento de alimentos e bebidas saudáveis, com 0,5% do mercado, dominado por gigantes como Nestlé, Danone, Coca-Cola e a própria Unilever.

  • Unilever amplia aposta em negócios sustentáveis

    A Unilever, maior empresa desse ramo no mundo, acaba de comprar a marca de produtos de limpeza premium, The Laundress, com insumos naturais, em mais um movimento de uma gigante global em direção a produtos saudáveis e ecologicamente amigáveis.

  • Continua o crescimento mundial dos alimentos orgânicos

    Em 2018 continuo o crescimento global do mercado de  produtos orgânicos e os Estados Unidos consolidaram sua posição de liderança. A Ecovia Intelligence projeta que o comercio de alimentos orgânicos deve superar US $ 50 bilhões pela primeira vez neste ano. A demanda por alimentos orgânicos está se fortalecendo. Segundo a OTA (Organic Trade Association), 83% das famílias norteamericanas  compram produtos orgânicos  que representam  5% do total de vendas dos alimentos no varejo.

  • “Não adianta ser verde e estar no vermelho”, diz CEO da Mãe Terra

    “O empreendedor é criado por uma paixão, mas é preciso lapidar a proposta de valor do negócio com a realidade do mercado”, afirma. “Não adianta ser verde e estar no vermelho”, diz CEO da Mãe Terra.

  • Multinacionais buscam se adequar aos novos hábitos de consumo

    Os hábitos de consumo alimentícios do brasileiro, ainda que aos poucos, está mudando. Antes restritos a pequenos grupos, atributos de cunho nutricional, de saúde e de sustentabilidade têm se tornado atrativos e até mesmo decisivos para um número cada vez maior de pessoas no momento da escolha de seus alimentos. Com isso, grandes empresas vem buscando se adequar à essa mudança.

  • Unilever compra empresa brasileira de orgânicos Mãe Terra

    A Unilever, multinacional britânica-neerlandesa, anunciou nessa segunda-feira (2), a compra da empresa brasileira de alimentos naturais e orgânicos Mãe Terra. A multinacional fez o anúncio em Londres, sem revelar os valores da transação.

  • Dinamarca, contra o desperdício de comida

    Graças a ativistas, supermercados e fabricantes, nação europeia elimina 25% do desperdício. Grandes indústrias de alimentos como Nestlé e Unilever unem-se ao movimento.